banner

As 4 Deusas: Asteróides e aspectos do feminino



Ceres, nome romano para Deméter, como era chamada na mitologia Grega, filha de Cronos e Rheia, mãe de Perséfone era  cultuada de maneira secreta entre os gregos, nos ritos de Elêusis, celebrando a fertilidade da terra e as colheitas. O mito mais conhecido desta deusa se refere ao rapto de sua filha, Perséfone, pelo Hades (Plutão entre os romanos), deus olímpico da morte e das profundezas do Tártaro, o mundo inferior. 





Numa de suas incursões à superfície da terra, Hades avistou a jovem na beira de um rio, distraída, como sempre costumava ficar durante horas do dia, se apaixonando instantaneamente pela jovem, ordenando aos seus soldados que a sequestrassem e a levassem com ele para o reino do Tártaro. Estranhamente, Perséfone deixou-se levar sem a menor resistência para sua nova realidade, como esposa de Hades e moradora do Tártaro. Assim que Deméter descobriu o rapto, entrou em total desespero, envolvida pela tristeza e desalento totais, deixando a Terra totalmente descuidada, e que muitos relacionam como uma alegoria do que teria sido a Era Glacial, onde tudo congelou, os alimentos se tornaram escassos, e a vida no planeta se viu seriamente ameaçada.

Preocupados com o estado de Deméter e o risco que isto estava trazendo para a sobrevivência da Terra, Zeus chamou Hades para negociar um acordo que pudesse satisfazer tanto à mãe quanto a ele mesmo enquanto marido, e que pudesse salvar a Terra da total destruição. Zeus consegue convencê-lo a deixar que Perséfone passasse nove meses do ano com a mãe, mas não abriria mão de ficar junto a esposa três meses do ano, vivendo no seu reino. Deméter, um pouco a contragosto, aceita o acordo, mas mesmo assim, nos três meses em que a filha se afasta para estar com o marido, congela tudo no mundo durante o inverno, o que seria o simbolismo no inverno na maior parte do hemisfério norte, onde praticamente tudo congela e “morre”, para renascer com o retorno de Perséfone para junto de sua mãe.

Para as mulheres, mostra se terá fertilidade, a tendência da quantidade de filhos ou mesmo se terá um parto tranqüilo ou que inspira cuidados; também mostra que tipo de mãe poderá vir a ser, dependendo do modelo de mãe que teve em sua criação, podendo trabalhar isso de maneira mais consciente. 

Para os homens, mostrar sua fertilidade, sua capacidade de demonstrar carinho/afeto, ou várias confusões edipianas que advém da mistura dos padrões de mulher e mãe que podem acabar buscando nas relações.

Em outros aspectos, Ceres mostra no mapa em que aspectos nossa vida flui melhor, onde a fertilidade se manifesta, onde nossa criatividade assume características práticas de sucesso e retorno. Mas ao mesmo tempo, fala muito sobre nossos níveis de dependência emocional e possessividade do outro e como somos capazes ou não de nos nutrirmos e nos sentirmos seguros e amparados por nós mesmos.
Fonte; Cividanes astrologia